Número total de visualizações de página

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

De forma a promover a REQUISIÇÃO de OBRAS, esta Biblioteca tem presente uma mostra de obras literárias relacionadas ainda com a temática da PAZ.

Apresentamos algumas:

Vem à Tua Biblioteca e requisita LIVROS!!!!
Estamos à tua/vossa espera!!!






Sempre na divulgação de entidades que sejam um exemplo de cidadania, a Biblioteca está também a promover a pesquisa dos PRÉMIOS NOBEL DA PAZ.








2017 - Campanha Internacional para a Abolição das Armas Nucleares (ICAN, na sigla em inglês)
2016 - Juan Manuel Santos (Colômbia)
2015 – Quarteto para o Diálogo Nacional na Tunísia
2014 – Malala Yousafzai (Paquistão) e Kailash Satyarthi (Índia)
2013 – Organização para a Interdição das Armas Químicas (OIAC)
2012 – União Europeia
2011 – Ellen Johnson Sirleaf e Leymah Gbowee (Libéria) e Tawakkol Karman (Iémen)
2010 – Liu Xiaobo (China)
2009 – Barack Obama (Estados Unidos)
2008 – Martti Ahtisaari (Finlândia)
2007 – Al Gore (Estados Unidos) e o painel das Nações Unidos sobre o clima (Grupo Intergovernamental de Especialistas em Evolução do Clima, GIEC)
2006 – Muhammad Yunus (Bangladesh)
2005 – Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) e o seu diretor Mohamed ElBaradei (Egito)
2004 – Wangari Muta Maathai (Nigéria)
2003 – Shirin Ebadi (Irão)
2002 – Jimmy Carter (Estados Unidos)
2001 – Organização das Nações Unidos (ONU) e o seu secretário-geral Kofi Annan (Gana)
2000 – Kim Dae-Jung (Coreia do Sul)
1999 – Médicos Sem Fronteiras (fundada em França)
1998 – John Humes e David Trimble (Grã Bretanha/Irlanda do Norte)
1997 – Campanha Internacional para a Interdição das Minas Antipessoais e a sua coordenadora Jody Williams (Estados Unidos)
1996 – Carlos Ximenes Belo e José Ramos-Horta (Timor Leste)
1995 – Movimento antinuclear Pugwash (fundado no Canadá) e Joseph Rotblat (Reino Unido)
1994 – Yitzhak Rabin, Shimon Peres (Israel) e Yasser Arafat (OLP)
1993 – Nelson Mandela e Frederik de Klerk (África do Sul)
1992 – Rigoberta Menchu (Guatemala)
1991 – Aung San Suu Kyi (Birmânia)
1990 – Mikhail Gorbatchev (URSS)
1989 – Dalai Lama (Tibete)
1988 – Forças de Manutenção da Paz das Nações Unidas
1987 – Oscar Arias Sanchez (Costa Rica)
1986 – Elie Wiesel (Estados Unidos)
1985 – Médicos Internacionais para a Prevenção da Guerra Nuclear (fundada nos Estados Unidos)
1984 – Desmond Tutu (África do Sul)
1983 – Lech Walesa (Polónia)
1982 – Alva Myrdal (Suécia) e Alfonso Garcia Robles (México)
1981 – Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR)
1980 – Adolfo Perez Esquivel (Argentina)
1979 – Madre Teresa (Albânia/Índia)
1978 – Anwar al-Sadat (Egito) e Menahem Begin (Israel)
1977 – Amnistia Internacional (fundada no Reino Unido)
1976 – Betty Williams e Mairead Corrigan (Grã-Bretanha/Irlanda do Norte)
1975 – Andrei Sakharov (URSS)
1974 – Sean MacBride (Irlanda) e Eisaku Sato (Japão)
1973 – Henry Kissinger (Estados Unidos) e Le Duc Tho (Vietname, que recusou)
1972 – não atribuído
1971 – Willy Brandt (Alemanha Ocidental)
1970 – Norman Borlaug (Estados Unidos)
1969 – Organização Internacional do Trabalho (OIT)
1968 – René Cassin (França)
1967 – não atribuído
1966 – não atribuído
1965 – Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF)
1964 – Martin Luther King Junior (Estados Unidos)
1963 – Comité Internacional da Cruz Vermelha e Liga das Sociedades da Cruz Vermelha
1962 – Linus Carl Pauling (Estados Unidos)
1961 – Dag Hammarskjöld (Suécia)
1960 – Albert Lutuli (África do Sul)
1959 – Philip Noel-Baker (Reino Unido)
1958 – Georges Pire (Bélgica)
1957 – Lester Pearson (Canadá)
1956 – não atribuído
1955 – não atribuído
1954 – Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados
1953 – George Marshall (Estados Unidos)
1952 – Albert Schweitzer (França)
1951 – Léon Jouhaux (França)
1950 – Ralph Bunche (Estados Unidos)
1949 – John Boyd Orr of Brechin (Reino Unido)
1948 – não atribuído
1947 – Conselho do Serviço dos Amigos (The Quakers, fundado no Reino Unido), Comité do Serviço dos Amigos Americano (The Quakers, fundado nos Estados Unidos)
1946 – Emily Greene Balch e John Raleigh Mott (Estados Unidos)
1945 – Cordell Hull (Estados Unidos)
1944 – Comité Internacional da Cruz Vermelha
1943 – não atribuído
1942 – não atribuído
1941 – não atribuído
1940 – não atribuído
1939 – não atribuído
1938 – Comité Internacional Nansen para os Refugiados
1937 – Cecil of Chelwood (Reino Unido)
1936 – Carlos Saavedra Lamas (Argentina)
1935 – Carl Von Ossietzky (Alemanha)
1934 – Arthur Henderson (Reino Unido)
1933 – Norman Angell (Reino Unido)
1932 – não atribuído
1931 – Jane Addams e Nicholas Murray Butler (Estados Unidos)
1930 – Nathan Söderblom (Suécia)
1929 – Frank Billings Kellogg (Estados Unidos)
1928 – não atribuído
1927 – Ferdinand Buisson (França) e Ludwig Quidde (Alemanha)
1926 – Aristide Briand (França) e Gustav Stresemann (Alemanha)
1925 – Sir Austen Chamberlain (Reino Unido) e Charles Gates Dawes (Estados Unidos)
1924 – não atribuído
1923 – não atribuído
1922 – Fridtjor Nansen (Noruega)
1921 - Karl Hjalmar Branting (Suécia) e Christian Louis Lange (Noruega)
1920 - Léon Bourgeois (França)
1919 - Thomas Woodrow Wilson (Estados Unidos)
1918 – não atribuído
1917 – Comité Internacional da Cruz Vermelha
1916 – não atribuído
1915 – não atribuído
1914 – não atribuído
1913 - Henri La Fontaine (Bélgica)
1912 - Elihu Root (Estados Unidos)
1911 - Tobias Michael Carel Asser (Holanda) e Alfred Hermann Fried (Áustria)
1910 – Gabinete Internacional Permanente da Paz
1909 - Auguste Beernaert (Bélgica) e Paul Henri Balluet d'Estournelles de Constant (França)
1908 - Klas Pontus Arnoldson (Suécia) e Fredrik Bajer (Dinamarca)
1907 - Ernesto Teodoro Moneta (Itália) e Louis Renault (França)
1906 - Theodore Roosevelt (Estados Unidos)
1905 - Baronesa Bertha Sophie Felicita von Suttner (Áustria)
1904 – Instituto de Direito Internacional
1903 - William Randal Cremer (Reino Unido)
1902 - Élie Ducommun e Charles-Albert Gobat (Suíça)
1901 - Jean Henri Dunant (Suíça) e Frédéric Passy (França)

Ainda neste âmbito, a Biblioteca Escolar, em medi@ção tem promovido atividades de pesquisa digital, nomeadamente procura de biografias de personalidades célebres e de referência nesta temática "MAKE PEACE NOT WAR":

Exposta na Biblioteca, a biografia de 


Vem aí o DIA ESCOLAR DA 
NÃO VIOLÊNCIA E DA PAZ
30 de janeiro

O Dia Escolar da Não Violência e da Paz comemora-se anualmente a 30 de janeiro.

A data foi instituída em 1964 em Espanha pelo poeta, pedagogo e pacifista espanhol Llorenç Vidal, mas foi acolhida a nível internacional.
Foi escolhido o dia 30 de janeiro por assinalar o falecimento do grande pacifista indiano Mahatma Gandhi.
Nos países do hemisfério sul com calendários escolares diferentes, a data comemora-se por volta de 30 de março.
O objetivo do Dia Escolar da Não Violência e da Paz passa por alertar os alunos, os professores, os pais, os políticos e os governantes para a necessidade de uma educação para a paz, que promova valores como o respeito, a igualdade, a tolerância, a solidariedade, a cooperação e a não-violência.
Fomentar a comunicação entre todos, impedir situações de bulling e incrementar a amizade são preocupações deste dia.
Em Portugal realizam-se diversas atividades nos agrupamentos escolares tendo em vista a perseguição destes objetivos.


Com a temática "MAKE PEACE NOT WAR", a nossa Biblioteca Escolar está a dinamizar diversas atividades, nomeadamente pesquisa/escrita de frases alusivas ao tema, pintura de pombas e palavras-chave relacionadas com a PAZ, como por exemplo:


quinta-feira, 18 de janeiro de 2018


12.ª EDIÇÃO
O nosso Agrupamento está inscrito.
Este é o regulamento:
Participa!!!!
Continua a inscrever-te 
na Biblioteca Escolar!





A Biblioteca Escolar continua a sua ação formativa e de intervenção sempre numa relação transversal e articulada com o Currículo.

Esta atividade mensal tem, entre outros objetivos, desenvolver a Literacia Científica, promovendo a utilização das TIC com vista à pesquisa de informação, desenvolvendo simultaneamente as competências da Leitura e da Escrita.

Partilhamos as duas atividades já dinamizadas no decurso deste ano letivo:
Vem à Biblioteca Escolar e participa no
"CIENTISTA DO MÊS"

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Sempre "espalhando" o conhecimento,
        em parceria/articulação com o currículo
               continuámos a expôr os trabalhos dos nosssos 
                            alunos em diversas áreas, nomeadamente:









No mês de 
cantámos as JANEIRAS
Composição da autoria do professor Fernando Ventura Mendes, 
a lecionar a turma B da Escola Básica Prof. Arménio Lança.



Continuamos a festejar efemérides importantes 
da nossa cultura: o dia de  REIS  
e, a Biblioteca Escolar/ Pré-Escolar e 1º Ciclo 
de Alvalade saiu à rua 
para cantar as JANEIRAS 
a toda a nossa comunidade.

Andámos pelas ruas, estabelecimentos comerciais
visitámos os "nossos" idosos
 e recebemos a sua gratidão 
nas palavras da Dra. Patrícia.
Felizes e contentes por este momento 
de cidadania, regressámos à escola
certos, também, de que só assim, 
não se perdem tradições ancestrais!